Rebentos e Germinados

Alimentação Viva no Verão

É provável que já tenha ouvido falar em alimentação viva. Também é possível que ache o nome um pouco estranho e imaginar até algum alimento a querer saltar do prato, mas não é bem assim. 

A alimentação viva é baseada em um cardápio com todos os alimentos de origem vegetal, crus, germinados ou naturalmente fermentados, ou seja, não sendo cozidos. Esse estilo de vida é frequente em vegetarianos e veganos que buscam, por meio de pratos variados, os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Apesar de poder parecer algo radical, há alguma ciência por trás de tudo isto, sendo impossível de resumir num só artigo, mas fica a saber que muitos especialistas vêm neste tipo de alimentação um bom caminho para a prevenção e tratamento de doenças. Mesmo que cozendo cereais e ingerindo alguns produtos de origem animal, hoje em dia é normal diversas famílias desfrutarem destes princípios e benefícios, ingerindo boas quantidades de alimentos vivos.

Segundo a Dra. Maria Luiza Branco, uma autoridade neste assunto, a alimentação viva é aquela que considera a vitalidade dos vegetais como a fonte essencial de alimento e não a matéria mesma, ou seja, as proteínas e os hidratos de carbono. Considera que o ser humano se alimenta de vida e que pode buscar a fonte dessa energia de várias maneiras, não só na comida, mas também na vitalidade do ar, da água, da terra, do sol, da alegria e tudo o mais que nos mantém vivos.

O verão, é a melhor estação do ano para comer saladas de legumes crus e germinados, por isso aproveite para conhecer mais sobre esta dieta rica em minerais e vitaminas. É também possível fazer fermentados como chucrutes naturais em casa, ricos em pré e pró-biótipos que vão povoar e fortalecer a sua flora intestinal. No passado, o alimento não cozido era o mais normal e muitos povos a utilizaram. Hoje, tal como antigamente, é possível a produção caseira destes fermentados, rebentos e grãos germinados, para o fornecimento de energia vital e grande quantidade de nutrientes essenciais, nem sempre disponíveis nas saladas comuns. A única ressalva que eu como Naturopata tenho a obrigação de lhe avisar, é que se por algum motivo estiver com desequilíbrios em orgãos como o baço ou os rins, talvez não seja boa ideia abusar de alimentos frios e crus, principalmente em outras estações do ano que não o verão, pois pode gerar algum frio interno prejudicial. Tudo em equilíbrio como eu gosto de frisar. Se tiver dúvidas sobre o seu caso específico, pode sempre escrever-me para o email brunonaturopata@gmail.com que terei gosto em lhe responder.

Aproveitemos, entretanto, para distinguir entre grãos germinados e rebentos. O grão germinado é o momento inicial quando apenas uma pequena haste aparece. O rebento é o estágio avançado de germinação da semente. Normalmente os rebentos têm entre 8cm e 10cm de altura e apresentam folhas definidas, daí que também sejam fonte de clorofila.

Produzir rebentos e germinar uma grande quantidade de grãos como por exemplo certos feijões, lentilhas, ervilhas, alfafa, trevo e rabanete torna-se cada vez mais fácil. Para esta produção, existem algumas caixas plásticas à venda próprias para o efeito. De forma mais amadora pode ser feita em frascos de vidro grandes, usando também uma peneira para sempre escorrê-los bem. Para iniciarmos o preparo caseiro de rebentos ou grãos germinados, as sementes devem ficar de molho durante 24 horas. Depois, escorre-se a água, rega-se duas a três vezes ao longo dia dependendo da temperatura ambiente, volta-se a escorrer para tirar toda a água excedente e deixa-se num local arejado, sem luz solar direta. Entre quatro e sete dias a maioria das sementes germina e a sua plantação caseira chega ao período de colheita.

As sementes germinadas dão rebentos plenos de vitalidade. A sua excepcional quantidade de nutrientes conferem-lhes o estatuto de super-alimento, sendo considerados como já referi, extremamente úteis numa dieta sã e ainda de dar um ótimo sabor a numerosos pratos. É aconselhável que todos os grãos e sementes que use sejam biológicos ou de origem confiável, para uma maior segurança e saúde das refeições.

Os germinados mais populares

Existem vários tipos de germinados, e geralmente são fáceis de encontrá-los a no mercado. Os de feijão mong e alfafa são os mais comuns e podem adquirir-se facilmente em lojas naturais. As de lentilha, grão, trigo talvez tenha que procurar um pouco mais, mas também podem comprar-se as sementes neste tipo de lojas. Depois é só germiná-las.

Eis aqui uma pequena lista de germinados e suas características nutricionais:

* Lentilha: além de proteínas, têm ferro, zinco, manganésio e vitaminas;

  • Alfafa: é rica em minerais como magnésio, fósforo, silício, sódio e potássio em proporção equilibrada; boas quantidades das vitaminas A, C, E e K;
  • Grão de bico: são muito energéticos, aportam algumas proteínas, fósforo, cálcio e ferro;
  • Feijão mong: os mais ricos em proteínas depois da soja e muito fáceis de digerir;


Cuidados a ter em conta:

Um risco geral da germinação é o possível desenvolvimento de bactérias nocivas nos rebentos caso esteja num ambiente com condições húmidas favoráveis. Deste modo, reitero a importância de lavar cuidadosamente os rebentos todos os dias, duas vezes ou mais durante o processo de germinação, retirar as casquinhas das leguminosas que saem com a peneira e deixar num lugar bem arejado. As mulheres grávidas também devem evitar certos germinados, em especial os de alfafa por conterem alguma quantidade de estrogénios e poderem gerar contrações uterinas. Também existem estudos que desaconselham o consumo de germinados caso sofra de alguma doença auto-imune como Lúpus ou Esclerose Múltipla.

Propriedades Terapêuticas dos Germinados:

Favorecem o processo de desintoxicação do organismo e fortalecem o sistema imunitário. Facilitam ainda a digestão ao activar os processos de regeneração e desinflamação do aparelho digestivo. Melhoram o funcionamento intestinal, regeneram a flora intestinal, baixam o índice do colesterol e regulam o metabolismo em geral. Incrementam o tónus muscular e têm efeitos rejuvenescedores.

Para mais informações, entre em contacto. Terei gosto em responder às suas questões.

Bom Apetite.

Bruno Gonçalves (Naturopata)

Quantas estrelas esse artigo merece?

Classificação média 0 / 5. Votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a classificar esse artigo

Como você achou este artigo útil ...

Partilhe-o nas redes sociais

Lamentamos que este artigo não lhe tenha sido.

Ajude-nos a melhora-lo!

Diga-nos como podemos fazê-lo.

close

Quer receber as nossas notícias em primeira mão?

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Usamos cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site.